Visualizações de páginas/visitas.

This is default featured post 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured post 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured post 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured post 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured post 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Assumir responsabilidades não é pecado!

Recentemente foi contratado para realizar um trabalho junto aos restaurantes de uma determinada cidade do interior, que por sinal, eu não a conhecia. 


Ao visitar a primeira empresa, notei que o movimento de clientes era bem pequeno, deixando boa parte do ambiente vazio de pessoas. E ao conversar com o gestor do estabelecimento, ele culpou todo mundo pelo fraco desempenho do seu restaurante. Expressões do tipo: “O povo desta cidade não valoriza as coisas da terra”, “o povo não gosta do que é bom” foram citadas várias vezes. Até mesmo o prefeito foi culpado pelo desempenho ruim da empresa. 

Ao terminar a visita, para dar continuidade ao trabalho, precisaria visitar a próxima empresa que ficava a apenas alguns poucos metros de onde eu estava. Para surpresa minha, o restaurante estava lotado e com algumas pessoas esperando o atendimento. Aqui vale um esclarecimento: ambos os estabelecimentos, além de estarem bem próximos, atuavam com o mesmo sistema e até o valor cobrado era o mesmo. 

Antes de me apresentar, fiquei observando a dinâmica do lugar e, de imediato um fato me chamou a atenção: a gestora mantinha contato direto e constante com os clientes. Ela procurava saber se o tempero estava no ponto, se o cliente estava satisfeito, se eles tinham sugestões de pratos e de sobremesas e até mesmo, em um ato de total personalização do atendimento, comentando com alguns clientes que estava percebendo a falta deles, procurando saber se era algo relacionado à satisfação deles com o seu estabelecimento. 

E então? Já é possível entender por que um faz sucesso e outro não? Pelo atendimento apenas? Não. O bom atendimento é uma consequência de a gestora ter assumido a responsabilidade por fazer o seu cliente se sentir valorizado e transformar o empreendimento em um exemplo de sucesso. Ou 
seja: ela foi além. E “ir além” é o que se espera das pessoas atualmente, tanto na vida pessoal como na profissional. 

A professora Rosabeth Moss Kanter da Harvard Business School, nos EUA, apresenta um exemplo bem interessante que facilita ao entendimento sobre a ampliação (ou o “ir além”) da responsabilidade que estamos discutindo. Ela afirma que o tão comum ato de vender um cafezinho exige muito mais conhecimento do que apenas saber como preparar e servir a tão apreciada bebida. Além disso, é necessário saber: Onde foi cultivado o grão? Em que condições de trabalho, com que pesticidas? O copo é de papel reciclado? 

Quantas árvores foram derrubadas e quanta água foi usada para fabricá-lo? A tampa de plástico solta toxinas? E fecha bem o suficiente para que a bebida não derrame e queime a pessoa que o consome? 

Serão detalhes banais? Não creio, afinal as consequências imediatas ou 
futuras deverão ser da responsabilidade de quem vende o produto. Legal ou 
moralmente falando. 

E assumindo a responsabilidade, o profissional gera credibilidade e mais 
chances de sucesso em qualquer tipo de projeto. Aliás, o poeta Augusto 
Branco já dizia que o sucesso acompanha quem assume a responsabilidade 
por si próprio, quem faz a própria vida - quem não espera, mas faz acontecer. 

Na prática e nos exemplos citados no início desta reflexão, em um deles, vimos alguém que só reclama, que não assume a responsabilidade por si próprio e não obtém sucesso. Os motivos para que isso ocorra podem ser os mais diversos: negação a si mesmo? Não se perceber? Não se reconhecer? Fugir da realidade? Falta de informação técnica? E a relação de possibilidades não acaba aqui. 

Entretanto, independentemente do motivo, algo não pode continuar: insistir em um erro. 

Se o gestor (do projeto, do negócio ou da própria carreira) percebe que algo 
não está da maneira que ele gostaria que estivesse acontecendo, o 
recomendado é que, assuma a responsabilidade sobre a mudança ou sobre as 
consequências. Se não está conseguindo fazer por conta própria, que procure 
ajuda de um especialista. Ele, seguramente, poderá ajudar. 

É claro que é muito mais fácil culpar o outro pelo próprio insucesso. Mas é 
importante ter consciência que essa ação não vai ajudar em nada. Para mudar o cenário é necessário agir. 

E você? Como tem lidado com as suas responsabilidades? As tem assumido? 
Pare um pouco e faça uma reflexão sobre o seu comportamento (assuma a 
responsabilidade sobre isso também). E depois, desfrute dos resultados 
positivos. 

Pense nisso. Aja e seja feliz.

Por Odilon Medeiros, (parceiro do Adm Abrangente).

Odilon Medeiros  - É consultor em gestão de pessoas, palestrante, professor 
universitário, mestre em Administração, especialista em Psicologia 
Organizacional, pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em vendas
Contato: odilon_medeiros@yahoo.com.br ou om@odilonmedeiros.com.br 


Fone: (**81) 9991-7056/ 8256-1942.

Sait: www.odilonmedeiros.com.br 

Imagem do Texto: Google Imagem.






quinta-feira, 3 de julho de 2014

Não existe resultado positivo quando não se confia no líder.

Por muitas vezes vemos equipes formadas por bons profissionais não atingirem as metas traçadas pela empresa, mas, se as pessoas que compõem a equipe são bem qualificadas. Onde estaria o erro?

O problema pode estar nada falta de confiança no líder, as pessoas mais observadoras podem notar insegurança do líder até mesmo pelo modo dele falar ou se comportar. A falha na comunicação é uma grande causadora de problemas entre líder e liderados. Tudo depende de como o líder interage com seus subordinados.

O líder não pode dar uma instrução para a sua equipe e antes mesmo do cumprimento dela, mudar o que pediu afirmando que do jeito que foi dito não dará certo e que ele teve uma idéia melhor. Isso demonstra que o líder não tem certeza do fala ou faz. Como acreditar em alguém que não confia em si mesmo?

Existem situações em que o líder delega uma tarefa e depois pergunta a sua equipe: O que foi mesmo que eu pedir para vocês fazerem? Se quem está instruindo não se lembra o que disse, como poderá cobrar seus subordinados por resultados positivos?

Agora observe um líder que fala sobre a importância da disciplina na organização e regulamento interno, mas não cumpre o diz. Exemplo: alerta sobre horário, mais ele mesmo chega atrasado.

Outro fator que contribui para que os liderados percam a confiança no seu líder, é saber que receberam uma tarefa do seu superior e o mesmo, pediu outra pessoa fazer à mesma coisa, porque não confiou que eles teriam êxito no que lhes pedido.

Concluímos que a falta de confiança de quem delega uma tarefa em si mesmo ou na equipe, gera um desconforto seguido de insegurança dos liderados no líder. Quando não se tem confiança em quem delega as tarefas, não tem como acreditar que aquilo que foram instruídos para fazer, terá resultados positivos.

Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).

Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com


Imagem do texto: Google imagem.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Livro: Líder a serviço, 5 ações que transformarão sua equipe, sua empresa e sua comunidade.

Hoje eu venho falar de um livro que finalizei recentemente. Chama-se "Líder a serviço, 5 ações que transformarão sua equipe, sua empresa e sua comunidade."Autores Kin Jennings e John Stahl - Wert, Editora Best Seller.

Esse livro é ótimo! Através de uma parábola, ele nos ensina todos os princípios básicos de liderança a serviço.

Como descrito no livro: "Num período de crescente preocupação com a ética em altas hierarquias, Líder a serviço apresenta uma abordagem de liderança mais moral e mais eficaz que a postura impiedosa do lucro a qualquer custo, que tem causado prejuízos a muitas organizações poderosas."

Com esse livro, pude manter o conceito que tenho sobre liderança, de que líder que é líder, tem que ter humanidade, ser gentil, sem deixar que percam o respeito. Dividir os méritos com a equipe. Reconhecer o que cada um faz. Não dizer "eu quem fiz", mas sim, nós fizemos, quando algo for feito também pela sua equipe. Passando o seu conhecimento para os demais, e que esteja aberto a aprender também. 

E para finalizar, líder que é líder de verdade, tem que servir, motivar, inspirar pessoas. Como diz no livro, inverter a piramide. 

Todo líder deveria ser um líder a serviço, transformador de pessoas.

Deixo abaixo algumas frases do livro:

  • Um líder a serviço tem um modo de ajudar todos a obterem êxito. Quase sempre antes de reconhecermos um líder a serviço, percebemos esta característica, as pessoas ao seu redor são florescentes".

  • "Tornar o seu conhecimento algo que possa ser ensinado. Tornar alguma coisa que possa ser aprendido."

  • "Os lídres a serviço invertem a pirâmide. Você se habilita a ser o número um, colocando os outros em primeiro lugar."

  • Um lider tem como serviço "desbravar caminhos". Uma vez que um líder a  serviço deve tanto ensinar, quanto remover obstáculos para que os outros possam percorrer o caminho que eles abriram."

Ficou com vontade de ler mais? Então leia o livro. Ou se você já leu o livro, conte-nos o que achou.



Por Lumara Diniz.
CRA-RJ/CEE: 00-20708.

Imagem: Google Imagem.




segunda-feira, 9 de junho de 2014

Você cobra demais as pessoas?

Existem muitas pessoas que tem tanta vontade que os outros sejam iguais a eles, que acabam por cobrar demais os outros. É muito comum criticarmos alguém que erra. Mais fácil ainda é nos vangloriarmos dizendo: Eu consegui fazer isso na primeira vez. 


É preciso entender e aceitar que as pessoas são diferentes, com desejos, sonhos, metas e objetivos distintos, todos possuem suas próprias qualidades, habilidades e competências. Não é porque EU consigo fazer isso ou aquilo na primeira vez, que o outro seja obrigado a conseguir também.

Entretanto, muitas pessoas pensam diferentes e cobram demais seus semelhantes por ótimos resultados. Imagine que você será promovido no período de um mês, mas, para isso é necessário treinar um substituto, você quando passou pelo processo de treinamento aprendeu tudo que era necessário em quinze dias – então pensa consigo mesmo: Em quinze dias estarei mudando de setor.

Porém a pessoa que você começa a treinar precisa de um tempo maior do que apenas quinze dias para se sentir segura no seu novo emprego. Quando o período que você mesmo determinou, para que o seu novo colega de trabalho aprendesse tudo, é ultrapassado. Qual é a sua reação?


Sem dúvidas que a sua reação é voltada para criticas e julgamentos, a ansiedade de ser promovido e o egoísmo afetam diretamente as suas emoções, levando-o ao cobrar cada vez mais seu colega por ótimos resultados em curto prazo, como se você tivesse alguma autoridade sobre a pessoa que está treinando.


Por favor, seja humilde e paciente, se coloque no lugar do outro antes de criticá-lo, julgá-lo e condená-lo. Aceite que as pessoas são diferentes, mesmo que seu colega precise de um pouco mais de tempo para se adaptar ao novo emprego, e você tenha que esperar um período maior para ser promovido, persevere com seu colega, é nesse momento que precisamos dar todo o nosso apoio e atenção para as pessoas.

Lembre-se, você também será treinado quando for promovido, como você gostaria de ser tratado? Viu como é estar do outro lado da história? Não compare os resultados que você tem, ou gostaria de ter, com os que as outras pessoas estão te apresentando.





Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).

Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com



Imagem do Texto: Google Imagem.


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Distinguindo Líder de Chefe.

Muito se ouve falar de líder e chefe, mas, como diferenciar se eu tenho um líder ou um chefe? E que impacto isso terá na minha carreira?

Chefe: 

Um chefe é facilmente identificado por suas características mais evidentes que compõem a sua personalidade individual e egoísta que são:
  • Hierarquia;
  • Ordens;
  • Cobrança.
O chefe se coloca acima dos seus colaboradores expressando autoridade: “eu tenho o poder e eu posso fazer o que eu quiser quando e como desejar, porque eu sou o seu chefe.” Usando de níveis hierárquicos para justificar a sua arrogância e insatisfação com os resultados. “você está aqui exclusivamente para me servir.”

Outra forma de reconhecer um chefe é através das constantes ordens que ele faz, não aceita que ninguém “respire” está a todo o momento designando tarefas para seus colaboradores que eles jamais teriam condições de fazer naquele momento, ou seja, ele quer que você esteja o tempo inteiro em “funcionamento” em favor de resultados.

E por último e mais fácil ainda de identificar numa pessoa como atitude de chefe, é a constante cobrança por resultados. É incrível como o chefe se coloca acima dos seus colaboradores, escala incontáveis coisas para se fazer, mas, é incapaz de se reunir com sua equipe, discutir ideias, ouvir o que os outros têm a dizer, mas, exige bons resultados o tempo inteiro, “a empresa tem uma meta para bater, a empresa está ficando prejudicada por profissionais sem compromisso.” Vocês precisam ter mais amor pela camisa!

Um discurso insensato é a única justificativa que um chefe dar para seus colaboradores. Além de sempre culpá-los por resultados negativos.

Líder:

Um líder também possui características fáceis de identificar que compõem a sua personalidade que são:
  • Humildade;
  • Empatia;
  • Perseverança;
  • Acompanhamento;
  • Reconhecimento.
Um Líder é Humilde... conversa educadamente com todos os colaboradores independente da função que exercem, é compreensivo e respeita a todos os tratando com igualdade.

O líder usa de empatia e compreensão e se coloca no lugar do seu liderado para poder ajudá-lo de forma mais objetiva, ou seja, um líder não julga as pessoas por terem dificuldade de aprendizado ou em atingir um objetivo.

A perseverança é uma característica muito notada em grandes lideres, pois, eles nunca desistem de nenhum dos seus liderados, estão sempre estimulando, motivando, servindo e contribuindo ao máximo para que todos tenham bons resultados. Porque a vontade deles é que todos encontrem a felicidade no trabalho e dêem bons frutos.

Um líder acompanha os seus liderados após instruí-los, ou seja, ele se reúne com sua equipe e passa as informações necessárias e faz um acompanhamento para saber se todos compreenderam e estão fazendo tudo corretamente, para depois pedir a eles resultados.

Somente um Líder é capaz de dar o devido Reconhecimento a cada um de seus colaboradores, pois conheceu os obstáculos que foram capazes de superar e perseverou com eles e lhes deu o devido valor e reconhecimento por toda a sua dedicação e compromisso com os resultados da empresa.

Um Líder não procura ser servido pelos seus colaboradores, muito pelo contrário... ele é Quem Serve a eles.



Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).

Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com


Imagem do Texto: Google Imagem.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Série Empreender: Toda empresa precisa de um bom sistema de Gestão.

Um dos fatores que leva uma empresa ao sucesso, é uma boa administração.

E para ter uma administração eficaz, é imprescindível a implantação de um sistema de gestão. Um programa que venha ajudar e facilitar a organização de fluxo de caixa, controle de contas á pagar e receber, controle de estoque, etc.

Custa caro ter um programa assim? Nem sempre!

Existem diversos programas, desde o mais caro até o mais em conta, que possuem ótima qualidade.

Um que eu gosto bastante é o ContaAzul. Ele é um sistema de gestão online para micro e pequenas empresas. 

O ContaAzul, controla finanças, vendas, estoques e emite Nota Fiscal eletrônica.

É um programa totalmente online, com suporte gratuito que pode ser feito pelo 0800, e-mail ou chat.

Possui um valor mensal entre R$ 29,90 á R$ 195,90.

O empreendedor pode contar também, com um blog que aborda diversos assuntos da área, além de dicas, matériais para download, como planilhas.

Você também pode usar o ContaAzul gratuitamente por 15 dias, para testar antes de adquiri-lo.

Fica minha dica!

Entre no sait e conheça melhor o ContaAzul.


Blog: http://contaazul.com/blog/


Por Lumara Diniz.




sexta-feira, 9 de maio de 2014

O ADM ABRANGENTE completa hoje 3 anos!

Hoje dia 09 de Maio de 2014, o ADM ABRANGENTE está completando três anos de existência.

Estou muito feliz com o rumo que o blog foi tendo durante esses anos.

Um blog que começou de forma despretensiosa, que cresceu rápido! Hoje possui quase 200.000 acessos.

Criar o ADM ABRANGENTE, foi uma satisfação enorme, pois recebo sempre e-mails de leitores dizendo que um post ajudou a desperta a motivação, ajudou em  trabalhos de faculdades ou em consultorias. Isso me deixa muito feliz, pois o blog indiretamente me permite fazer uma coisa que eu gosto muito, ajudar. 


Hoje o blog é um hobby, não tem fundos lucrativos, mas é um projeto que me deixa muito orgulhosa. Pois todos os assuntos que estão aqui publicados, são selecionados com muito carinho e pensando sempre nas pessoas que irão ler. No que aquele assunto pode contribuir, ajudar, despertar quem está lendo. 


Todas as vezes que entro no blog, sinto um orgulho muito grande. Não de mim, mas sim dos resultados que ele faz nos leitores. Um reflexo disso foi o prêmio TOP BLOG 2012. O ADM ABRANGENTE é um dos cem tops blogs do Brasil. 


E está concorrendo novamente o Prêmio TOP BLOG Brasil 2013/2014.


Gostaria de agradecer a você, caro leitor, que gosta do ADM ABRANGENTE. Você é muito importante para nós!

Também não posso deixar de agradecer os meus parceiros, que contribui com seus maravilhosos posts e divulgações do blog. São eles:

No decorrer desde ano, você terá algumas novidades aqui no ADM ABRANGENTE, Aguarde!

Continue participando, enviando seu feedback e suas sugestões.

E-mails de contato: admabrangente@live.com ou deixe o seu comentário.

Confira também:

Mais uma vez, muito obrigada! Sucesso á todos!

Por Lumara Diniz.

Imagem do texto: Google Imagem.



quinta-feira, 8 de maio de 2014

Quanto tempo você já passou investindo em seus colaboradores?

As empresas estão sempre divulgando que existem muitas vagas de trabalho, o que não tem são profissionais qualificados para exercer a atividade. Porém, será isto realmente verdade? 


Visão:

Os gestores dizem com convicção que falta mão-de-obra qualificada, e esquece do lado mais importante para a empresa que é a transparência. Os candidatos querem uma empresa que invista em seu potencial e acredite que ele pode ir além. Mas, na verdade o que tem ocorrido é a dura cobrança das empresas em cima de candidatos e colaboradores pré-contratados. 

Uma boa empresa acredita em seus colaboradores atuais e não descarta nenhum deles quando cogita algo maior, o que se tem visto é empresa buscando colaboradores que se destacaram em grandes empresas para elas. É mais fácil treinar um professor para dar aula do que um aspirante. No entanto, é muito mais em conta para a empresa revelar jovens talentos, do que contratar um. 

Ninguém é incompetente muito menos incapaz de aprender, a diferença está em interesse de aprender e falta de interesse. A empresa que vê um jovem talento se destacando dos demais colaboradores e tenta explorá-lo conforme sua vontade, sempre o perderá para concorrência. 


Investimento:

Em todos os setores e departamentos de todas as empresas, sempre haverá um ou mais colaboradores que irão se destacar dos demais colegas, porém, empresas usurpadoras persistem em fazer falsas promessas fazendo com que o colaborador tenha fantasias e se decepcione mais tarde. Sendo então, promessas de aumento de salário e promoções, e quando o promove é apenas em aumento de serviço. Algumas empresas promovem um colaborador e só depois de meses é que ele tem a sua carteira assinada novamente, como quem galgou cargos dentro da empresa, e só assim começa a receber o salário equivalente a nova função dentro da organização. 

O verdadeiro investimento começa quando o bom gestor promove uma reunião de forma transparente com todos os seus liderados, diz que a empresa em breve estará precisando preencher vagas x, y e z e que os interessados devem procurá-lo para maiores informações. A empresa sensata e prudente quando vir um jovem talento ela o abraça e lhe mostra as futuras oportunidades de emprego que ele pode alcançar, e o que ele deve fazer para alcançar tal posição dentro da empresa; como os tipos de curso que ele deve fazer e estabelece um determinado tempo. 

Não se investe somente em colaboradores que se destacam, investimento é acreditar, confiar, motivar e persistir com a pessoa que escolheu; fazendo com que ela se destaque das ouras e seja uma vencedora.


Conclusão:  

Concluímos que muitas empresas preferem contratar um candidato preparado a qualificar um de seus colaboradores atuais para a vaga, e que a cobrança sobre qualificação profissional é muito maior para os já contratados do que para os futuros candidatos. Uma empresa prudente deve investir em seus colaboradores atuais e revelar novos talentos, jamais aspirar.


Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).


Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com


Imagem do texto: Google Imagem.



Palestra A arte do bem viver, os novos desafios nas relações corporativas. Por Astrid Lenhart.


 "Dedico-me a ensinar a arte do bem viver. Muitos, ao se embrenharem no denso mundo corporativo, acabam se perdendo de si mesmos e se tornam vítimas das próprias escolhas. As empresas estão mudando e, ao mesmo tempo em que procuram os melhores resultados, começam a entender que essa busca só é possível se todos dentro dela estiverem felizes".


Conheça um pouco mais sobre o serviço da Astrid Lenhart.

Portifólio: Astrid Lenhart.


Sait: www.astridlenhart.com.br


Contato: astrid@astridlenhart.com.br


Telefone: (51) 9978-5857.


Fonte: Astrid Lenhart

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Série Empreender: Tudo o que você precisa saber antes de começar seu empreendimento.

Não ter mais patrão e abrir o próprio empreendimento é um pensamento bastante recorrente entre os brasileiros. Muitos tiram essa ideia do papel e conseguem finalmente pôr o sonho em prática. O que ocorre, porém, é que apesar das boas intenções e da iniciativa, a falta de planejamento, em boa quantidade dos casos, acaba deixando esses empreendedores reféns de um novo chefe: os bancos.


Os números de fechamentos prematuros de empresas poderiam ser bem menores se os empresários tomassem certas precauções antes mesmo da inauguração. Por isso, fizemos uma lista de coisas que todo o empreendedor deve levar em consideração na hora de montar o negócio. Confira:

Pense na viabilidade da ideia:

Um produto revolucionário que promete aquecer uma casa em poucos segundos pode ser um sucesso no sul do país, mas certamente será um fracasso no nordeste. Antes de investir, o empreendedor deve fazer um rigoroso estudo do mercado. Além de identificar os futuros clientes e suas necessidades, apresentando soluções reais para elas, o empresário deve conhecer os serviços e preços praticados pela concorrência. Dessa forma, ele será capaz de desenvolver seu diferencial para se destacar no mercado.

Defina o capital inicial:

Complementar o capital inicial da empresa com recursos dos bancos pode ser a sentença de extinção da empresa. Nos primeiros meses, a lucratividade pode não ser alta o suficiente para compensar essas dívidas, gerando juros, e isso dificultará bastante ficar no orçamento.

Ao calcular o capital inicial, leve em consideração todos os recursos essenciais para dar inicio às atividades, que vão desde a aquisição de mercadorias e máquinas, até mesmo gastos com a decoração da loja. Manter um capital de giro para as despesas dos primeiros meses também é uma boa forma para evitar futuras dores de cabeça.

Conheça os custos do negócio:

Muitos empreendedores iniciantes, por falta de conhecimento do mercado, não conseguem enxergar todos as despesas que terão durante as suas atividades. Gastos como o 13º de funcionários e o FGTS devem ser levados em consideração na hora de contratar, por exemplo. Por isso, recomenda-se a formação de uma reserva de contingência para que o empreendedor não seja pego desprevenido.

Outra despesa importante para se levar em consideração é a carga tributária que recairá sobre o negócio. Lembre-se que pequenos empresários podem ser beneficiados pelo Simples Nacional.

Separe finanças pessoais das finanças da empresa:

Apesar de ser uma ideia bastante simples, muitos empresários iniciantes têm dificuldade de dissociar uma coisa com a outra. Tirar dinheiro do caixa para comprar roupas ou pagar os produtos do estoque da empresa com o cartão de crédito pessoal, são péssimos exemplos de como lidar com as finanças. Para evitar essa “salada mista”, é importante definir um salário para os sócios de acordo com a lucratividade da empresa.

Estou pronto para ter um empreendimento?

Todo empreendedor deve se perguntar se está pronto para se tornar um líder. Além de estudar e conhecer muito todos os aspectos do seu novo negócio, deve ter consciência de que agora será o maior responsável pelas tomadas de decisão do lugar onde trabalha.

É recomendado que sejam realizados cursos de capacitação em diversas áreas, como administração, marketing e até um coaching empresarial. Você será o grande responsável pelo sucesso ou fracasso da empresa, por isso evite passar decisões importantes para terceiros.

Entusiasmado para começar o seu negócio? Planeje-se bem e coloque nossos ensinamentos em prática!

Um abraço e até a próxima!


Sait: www.contaazul.com

Imagem: Google Imagem.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Atire a primeira pedra quem nunca tomou uma decisão por impulso!

Se for difícil lembrar-se de uma decisão que tomou por impulso, volte a sua adolescência. Quantas vezes acelerou o carro mais do que deveria ou bebeu um pouco além da conta e tomou a corajosa decisão de ligar para aquela pessoa que já tinha rompido o relacionamento? Quantas vezes não tomamos decisões precipitadas e nos arrependemos depois? E o pior não é a ação em si, mas a consequência dela. Quanto tempo se perde para corrigir o trajeto? Se é que conseguimos, não é mesmo? E como líder? Quantas decisões por impulso você já tomou e como fez para corrigi-las? 

Lembro de uma ocasião há alguns anos atrás, onde trabalhava com uma líder que só me ensinou “ingerências”, aliás, essa palavra “aprendi” com ela. Segundo a definição da minha gestora naquela época, isso queria dizer: “tudo que não se deve fazer em liderança”. Foram quase dois anos aprendendo diariamente vendo suas atitudes e o que eu não devia fazer quando me tornasse uma líder. Em uma determinada manhã, tínhamos que decidir quem iria gerenciar um projeto importante que tínhamos acabado de fechar. Por favoritismo escolheu a pessoa que mais gostava, mas que não tinha condições de abraçar o projeto. Não por incompetência (apesar de não ser a mais competente das pessoas que já conheci), mas por já estar envolvida em outros projetos que a impossibilitariam de dar a atenção devida ao cliente. Para resumir, o resultado foi catastrófico, a empresa reclamou, achou que não dedicamos o tempo necessário a eles e que não cumprimos o prazo. Como resultado de uma ação impulsiva e por falta de planejamento criterioso do processo e de quem poderia assumi-lo, colocou nossa empresa em risco. A equipe tentou alertá-la, mas não quis escutar ninguém e a estava na cultura de que deveríamos fazer rápido, mas esqueceu de perceber que rapidez não é garantia de eficiência.

 A lição que tiramos nestes casos é que para algumas decisões a pressa é realmente inimiga. Nem sempre a agilidade é sinônimo de eficácia. Costumo dizer que : “há uma grande diferença entre movimento e direção”. Movimentar-se é mexer o corpo sem controle, é muito simples e qualquer animal pode fazer, mas direcionar as suas ações com foco em resultados e de forma estratégica, é uma ação que precisa ser pensada. Para que você possa trazer resultados melhores em 2014 pare de correr riscos desnecessários e de tomar decisões por impulso. Coloque nas suas metas: “esse ano vou planejar melhor minhas ações, trabalhando de forma mais inteligente, pensando no que faço e no porque faço.” 


Passos que podem ajudá-lo:


1) Avalie friamente quanto tempo tem para tomar a decisão;

2) Converse com as pessoas envolvidas e deixe claro para elas a importância de decidir de forma planejada; 

3) Defina quem pode ajudá-lo nesta decisão, evite “abraçar” tudo sozinho; 
4) Faça um Mini PDCA.


Não precisa ser um processo complicado, nem seguir exatamente essa sequencia, mas é fundamental que comece pelo planejamento, depois faça uma experimentação do processo, assim consegue programar e agir sobre ele fazendo os devidos reparos antes de implementá-lo definitivamente!

Na maior parte das vezes a pressa em tomar uma decisão é exatamente o que destrói suas chances de obter sucesso ou melhores resultados. O impulso é essencial para o sucesso, mas somente quando é usado na reta final, depois que a decisão foi tomada. Impulso serve para impulsionar, não para decidir!

Lembre-se de diferenciar movimento e direção. Primeiro planeje para onde vai e de que forma deve se movimentar, depois não perca nem mais um minuto e tome a decisão! Tenho certeza que desta forma terá mais sucesso e um ótimo começo de ano!

Artigo cedido por nossa parceira Ana Artigas.

(Psicóloga, pós-graduada em treinamento de RH e MBA executivo internacional com especialização em gestão empresarial pela FGV. Possui formação, treinamento e capacitação como consultora especializada Caliper em análise de perfil profissional pela Caliper Corporate, em Princeton, EUA. Desenvolve trabalhos de consultoria junto a médias e grandes empresas, oferecendo suporte em projetos de reestruturação organizacional, job rotation, gestão de desempenho, avaliações 360°, mapeamento de competências, entre outros.)


Imagem: Google imagem.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Contratar e receber novos colaboradores.

Uma das práticas que sempre encontramos nas melhores empresas é o de contratar as pessoas certas e recebê-las como as mais importantes da organização. As melhores empresas não contratam simplesmente os melhores profissionais em termos técnicos pelo seu conhecimento; quem faz esse tipo de contratação são as organizações convencionais.


O profissional da área de Recursos Humanos é muito exigido dentro das empresas e o sucesso da empresa, está diretamente ligado a este profissional. Por isso o recrutamento é o mais cobrado dentro das empresas. Depois de contratar o colaborador é necessário recebê-lo e apresentá-lo aos demais colaboradores. Isso quase não acontece nas pequenas e médias empresas. Pois, contratam pouco e quase sempre recrutam profissionais de nível operacional. É ai que começa a grande diferença entre pequenas, médias e grandes empresas. 

As empresas pequenas e médias teem poucos colaboradores e os proprietários estão constantemente na empresa e as contratações são para cargos mais simples, onde não são muito exigidos e muitas vezes não precisam ter experiência. Por isso aquela cobrança é menor e os colaboradores e seus talentos acabam passando despercebidos.

As grandes empresas necessitam constantemente de colaboradores de nível operacional sim, mas, também recrutam profissionais de alto nível. Onde se exigem muita experiência, foco, determinação, produtividade e muitos lucros. Sendo assim este profissional que foi recrutado é recebido na empresa de uma forma totalmente diferente pelos seus colegas de trabalho. 

Assim começa o processo de apresentação; onde o colaborador é chamado e apresentado pessoalmente pelos profissionais da área de Recursos Humanos, é falado um pouco da sua vida profissional, de suas conquistas, quantas empresas trabalhou, o porquê mudou de empresa e quais são as suas metas e objetivos para empresa pela qual foi contratado agora.

Esta é a grande diferença entre pequenas, médias e grandes empresas. Não se pode crescer e se tornar uma multinacional agindo como uma microempresa. Não se consegue os mesmos resultados fazendo tudo diferente. 

Contratar é essencial para as empresas e receber bem seus novos colaboradores é crucial, no entanto, desde a hora em que a empresa determinou recrutar ela deve ser sensata e prudente; para não suceder em um desligamento precoce. Pois, mesmo que o candidato preencha a vaga não significa que ele vai se adaptar ao perfil e filosofia da organização. Empresas que não observam corretamente apenas preparam seus colaboradores para as grandes empresas.


Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).


Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com



Imagem: Google imagem.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Mudança: gerenciamento ou liderança?

Vários estudos apontam que mais de dois terços das iniciativas de mudança fracassam. Talvez seja por isso que os programas de gerenciamento de mudança venham perdendo popularidade nas empresas. Quantas vezes você se pegou, no último dia do ano, prometendo para si que no ano seguinte sua vida mudaria? Quantas vezes escutou do seu líder ou falou para a equipe que começariam um novo processo? E quantas vezes você fez a mudança ou foi um agente dela? O que funcionou? O que não funcionou? Qual a credibilidade que a palavra mudança tem para você?

Segundo John Kotter, professor de Liderança da Harvard Business School, gerenciar a mudança é, basicamente, mantê-la sob controle. Em outras palavras, assegurar-se de que as coisas sejam feitas dentro de determinados prazos, que se cumpram certos compromissos e promessas e evitar que o caos seja tão grande a ponto de se tornar incontrolável. Já liderar a mudança consiste em impulsionar o processo de transformação por meio de algum tipo de resultado interno que todos compreendam. Também significa fazer todo o esforço possível para que a mudança ocorra e seja eficaz.
A maioria das grandes mudanças é produto de 80% de liderança e 20% de gerenciamento. O autor afirma que o problema principal não é manter a mudança sob controle, mas sim impulsioná-la, de tal forma que quebre as resistências e derrube todas as barreiras que impeçam a adaptação da empresa à nova realidade. E é por isso que muitos dos processos de mudança acabam como começaram, ou seja, sem qualquer tipo de mudança sustentável em processos, comportamento ou desempenho. Outros, funcionam no início, mas se perdem rapidamente por falta de foco ou outras variáveis. Portanto, o grande desafio está em implementar um processo de mudança que seja eficaz e duradouro, e que altere a natureza da organização.

Portanto, comece marcando o dia de início das ações, comunique o senso de urgência e comece a mudar imediatamente! O senso comum diz que a mudança, basicamente, é boa, além de ser um processo contínuo que não acaba. Mesmo assim, todo projeto precisa pontuar um início, desenvolvimento e fim, mesmo que esse fim represente, no futuro, o início de uma outra mudança. Sem objetivos e sem etapas predefinidas, as ações não podem ser mensuradas e o conteúdo acaba se perdendo.
Lembre-se de que somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos.

Artigo cedido por nossa parceira Alessandra Assad.
(Diretora da AssimAssad Desenvolvimento Humano. Formada em Jornalismo, pós-graduada em Comunicação Audiovisual e MBA em Direção Estratégica, é professora no MBA de Gestão Comercial da Fundação Getulio Vargas, Consultora Senior do Instituto MVC, palestrante e autora do livro Atreva-se a Mudar! – Como praticar a melhor gestão de pessoas e processos.)


Fone: (41) 3311-1056 / (41) 9235 - 5764



Imagem: Google imagem.





domingo, 2 de março de 2014

As lições de uma Tartaruga.

Acredito que todos ou pelo menos a maioria, conhecem a estória da (Lebre e a Tartaruga). Onde a Lebre se gabava da sua velocidade e zombava da humilde Tartaruga por causa das suas pequeninas pernas e lentidão. No entanto, mesmo a Tartaruga sabendo de todas as suas limitações, desafiou a Lebre para uma corrida e a venceu.

O excesso de confiança da Lebre fez com que ela menosprezasse a Tartaruga ao ponto de descansar e dormir durante a corrida. Acreditando que se fosse ultrapassada pela concorrente era só correr novamente e logo estaria na sua frente de novo. Enquanto a Tartaruga, não se deixou abater em nenhum momento, mesmo quando viu a Lebre disparar na sua frente na largada, ela seguiu sua jornada sem se preocupar com o resultado alheio, apenas acreditando em si mesma e valorizando o que ela tinha de mais precioso... a persistência.

Persistência: Não desistir, continuar tentando e perseverando até conseguir o resultado almejado.

Ao contrário da Lebre que por excesso de confiança parou para descansar e dormiu, a Tartaruga continuou sem parar um só minuto... e no final, cruzou a linha de chegada primeiro que a Lebre.

A Tartaruga nos deixou as seguintes lições:

- Objetivo;

- Persistência;

- Paciência;

- Superação.

A Tartaruga mesmo conhecendo as suas limitações, desafiou a Lebre com o objetivo de vencê-la, não apenas de competir com ela, persistiu e continuou caminhando mesmo que bem devagar, teve paciência em saber esperar... e por último a superação. Onde ela venceu todos os obstáculos que estavam em seu caminho.

Quando a Tartaruga desafiou a Lebre, em nenhum momento ela se preocupou com o resultado alheio, com aquilo que a mesma já teria conseguido durante a sua vida ou em que parte da corrida a Lebre estava. Ela focou em si mesma e na sua persistência em continuar a sua jornada, e cruzar a linha de chegada.

Muitas vezes entraremos em uma empresa com muitos objetivos, mas, seremos surpreendidos com uma série de exigências, obstáculos e pessoas que já se sentem preparadas para o que der e vier, entretanto, não devemos olhar para o resultado alheio, o nosso foco dever estar sempre em nós mesmos e na nossa carreira, nosso sucesso, ou seja, na nossa realização profissional.

“Nunca despreze a si mesmo.”

“Reconheça o seu próprio valor.”

Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).

Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com


Imagem: Google Imagem.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Prêmio TOP BLOG BRASIL 2013.

Prezados(as) Leitores(as);

O ADM Abrangente, está no segundo Turno do Prêmio TOP BLOG Brasil 2013.

E venho convidar á você, que gosta do blog, curte os assuntos aqui publicados, para dar o seu voto. Pois assim possamos mais uma vez, ficar entre os 100 TOP BLOGS do BRASIL.

No ano de 2012, ganhamos esse prêmio, que você pode conferir no selo ao lado direito. Igual o que está abaixo.


Conto com o seu voto! Clique na imagem abaixo, ou na imagem que está no blog  a sua direita.


Desde já agradeço o seu voto!

Lumara Diniz.



terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Como Descobrir e Desenvolver Talentos.

Captar e desenvolver talentos estão entre os maiores desafios das organizações. Dentre as 10 principais perguntas que recebo de meus clientes, as principais são: “Como faço para recrutar, selecionar e treinar meus profissionais? E se treiná-los e perdê-los para a concorrência?”

Vamos falar um pouco sobre estas questões. O sucesso de cada projeto, de cada produto ou serviço sempre está relacionada às pessoas que os desenvolvem, criam ou lançam ao mercado de trabalho e a seus clientes.

A maioria das empresas sabe disso, mas nem sempre sabem onde encontrar a pessoa adequada para o perfil de sua organização ou para a vaga que está aberta. E quando encontram, não conseguem manter o profissional em potencial por mais tempo na empresa, por desconhecerem a melhor forme de desenvolvê-los. 

Quantas empresas já contrataram trabalhos de consultorias com foco em desenvolvimento de pessoas que não atenderam a sua demanda? Ou ainda gastaram fortunas em horas consultoria ou treinamentos sem nenhuma mudança significativa na organização? Talvez você já tenha vivido essa situação na sua empresa, mas antes de se desesperar vamos pensar em soluções para esses casos.


1º. Você sabe se o profissional que você acabou de contratar está realmente adequado ao perfil que procura?

2º. Será que os profissionais que enviou para o treinamento estão dispostos a isso e acreditam na sua empresa?

3º. Este profissional que já está com você há algum tempo, sem trazer muito resultado, acredita na missão da sua organização?

4º. Seja ele de área comercial ou não, sabe se sua equipe acredita no produto que vocês vendem? 
5º. Você sabe que treinar não é a única forma de desenvolver um profissional?

Um programa real e adequado de desenvolvimento só acontece integralmente se você descobrir qual é o potencial do profissional que trabalha com você e suas principais características. Qualquer pessoa, independente do cargo que ocupe, só conseguirá alcançar um alto desempenho se estiver preparado e adequado para a função que exerce, se o seu “estilo” estiver de acordo com a sua função. Por exemplo, você acha que a pessoa que contratou será um bom líder se não tiver “manejo” para trabalhar com uma equipe? 

Investir em pessoas é a forma mais adequada para te trazer lucro nos próximos meses ou anos. Nos Estados Unidos, já existe uma corrente em defesa da mensuração do capital intelectual, os profissionais passarão em pouco tempo a fazer parte da planilha de custo da empresa, farão parte do Capital Contábil Investido. Então, antes de sair por aí em busca de alguém que você não tem a menor idéia de quem seja, descreva quais são as características que pra você, para a sua empresa e para a vaga em questão, serão fundamentais. Liste o que é importante para o sucesso e para o desempenho adequado da função que está em jogo, desenhe a descrição da função (se ainda não o tiver) e em seguida o perfil da vaga.

Depois, treinar e desenvolver é a fórmula perfeita de enriquecer o seu patrimônio. Acreditar que a sua equipe é realmente o seu capital intelectual e financeiro, é a melhor forma de obter qualquer recurso. As habilidades e competências, ou seja, as características de cada um devem ser aprimoradas constantemente.

O Coaching, ou outros programas sérios de capacitação e desenvolvimento são excelentes ferramentas para levar a sua empresa às mudanças que quer atingir – e nada melhor do que um começo de ano para iniciar aos poucos as grandes transformações. 

Antes de criticar as consultorias sérias, que podem ajudá-lo, lembre-se que é sua a responsabilidade de criar na empresa espaço a novas ferramentas que ajudem a equipe e o desenvolvimento de cada profissional.

Para que a sua empresa tenha sucesso, preocupe-se não apenas como deve fazer para captar bons profissionais, mas também com a satisfação dos que permanecem na organização. E apostar no desenvolvimento incessante da sua equipe é o melhor caminho para obter o nível de desempenho desejado para você e para sua empresa. 

Boa sorte! Estarei sempre com você!


Artigo cedido por nossa parceira Ana Artigas 

(Psicóloga, pós-graduada em treinamento de RH e MBA executivo internacional com especialização em gestão empresarial pela FGV. Possui formação, treinamento e capacitação como consultora especializada Caliper em análise de perfil profissional pela Caliper Corporate, em Princeton, EUA. Desenvolve trabalhos de consultoria junto a médias e grandes empresas, oferecendo suporte em projetos de reestruturação organizacional, job rotation, gestão de desempenho, avaliações 360°, mapeamento de competências, entre outros.).


Imagem: Google imagem.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Você realmente está ganhando mais, ou trabalhando mais?

Muitas pessoas trocam constantemente que emprego acreditando que vai “ganhar mais”, porém, não avaliam corretamente as circunstâncias e acabam trabalhando mais, ou seja, passando mais tempo no trabalho que em casa, e mesmo assim afirmam que estão ganhando mais.

Muito se ouve dos colaboradores – mudei de emprego porque fazemos hora extra e eu ganho mais.

Mas, o que é realmente ganhar mais? Por ventura, se o mesmo colaborador fizer as mesmas horas extras na empresa atual, também não ganharia mais?

Compreendendo o “ganhar mais”:

Para afirmar que “vou ganhar mais” por isso me mudarei de empresa, o colaborador deverá exercer a mesma função ou semelhante na futura organização, cumprir a mesma carga horária, ter os mesmos deveres e obrigações, responsabilidades e cobranças. E assim serem acrescidos de benefícios, premiações, treinamentos, programas de desenvolvimento e oportunidade claras de crescimento.

Compreendendo o “trabalhar mais”:

Quando uma pessoa trocar de empresa apenas por uma remuneração superior a sua atual, ela não poderá afirmar que estará ganhando mais, sem antes ter observado os seguintes pontos:

- Desempenhar a mesma função

- Carga horária/horas extras

- Responsabilidades

- Cobranças

- Benefícios

- Distancia do trabalho para casa


O colaborador só estará ganhando mais se ele for desempenhar a mesma função que desempenha na sua atual empresa, com os mesmos direito, deveres e obrigações, do contrário, estarão trabalhando mais do que no seu emprego anterior, por isso tem uma remuneração maior. Quando se passa mais tempo no serviço do que antes, as responsabilidades aumentam e junto com elas as cobranças, adquirirmos benefícios, é mais do que justo ser recompensados por isso.

Também devemos observar se a distância entre o nosso novo emprego da nossa casa aumentou, se ela for maior que no emprego anterior, passaremos mais tempo fora de casa e em favor do serviço.

Conclusão:

Existe uma enorme diferença entre “ganhar mais do que trabalhar mais” tudo depende do ponto de vista de cada colaborador, se o “MAIS” fazer referência apenas ao dinheiro, não fará diferença para o colaborador se ele passar mais tempo no serviço, e suas responsabilidades aumentarem consideravelmente, desde que com isso ela receba uma remuneração maior. Por outro lado, para alguns; o “MAIS” significa melhor qualidade de vida e perspectivas de futuro. Cabe a cada um, observar e avaliar qual é a melhor escolha para a sua carreira e continuar a sua jornada.

Por Heverton Soares. (Artigo cedido por ele, parceiro do ADM ABRANGENTE.).

Blog:www.lidercoachgestao.wordpress.com


Imagem: Google Imagem.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Workshop nas Missões - AGENDA DE DESENVOLVIMENTO INTEGRAL‏.

Convidamos você para participar do workshop AGENDA DE DESENVOLVIMENTO INTEGRAL Do empreendedorismo ao existencial, que acontecerá de 14 a 16/03/2014, na Pousada das Missões, em São Miguel das Missões-RS. Informações e programação no folder abaixo.

Público-alvo: Empresários, líderes, gestores, empreendedores, profissionais de departamento pessoal e recursos humanos, professores e profissionais que atuem com formação e gestão de pessoas, pessoas que queiram desenvolver um novo olhar para sua vida pessoal e profissional.

O evento conta com o apoio institucional do Sindilojas Missões.

Aproveite o desconto para inscrições antecipadas!

Vagas limitadas!




 Todo conteúdo descrito é de total responsabilidade do responsável do mesmo. O ADM Abrangente, é apenas uma fonte de divulgação.




segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Série: Empreender - Investidor Anjo.

Você tem uma ótima ideia empreendedora. E sonha em colocá-la em prática. Mas o que te impede é a falta do capital.

Mas, imagina ter um anjo, ou melhor, uma pessoa que tem disponível esse valor e quer investir em um negócio? 

Seria algo realmente divino, parece até historia. Mas não é, eles são chamados de investidores anjo. 

Leia o texto abaixo e descubra.




COMO A ANJOS DO BRASIL FUNCIONA PARA EMPREENDEDORES?

A Anjos do Brasil é uma organização sem fins lucrativos que apoia os empreendedores na busca de investimento anjo para seus negócios das seguintes formas:



Capacitação: Criamos várias "ferramentas" como o conteúdo deste site, o livro "Investidor Anjo", Cursos e Workshops para auxiliar aos empreendedores aprenderem como se prepararem para apresentar seu negócio para investidores de forma a aumentarem as suas chances de sucesso na captação de investimento. 


Encaminhamento de Projetos para Investidores: possuímos uma rede de investidores distribuídos em Núcleos Regionais em diversos estados e encaminhamos os projetos enviados para nós (pela opção Submeter) para os mesmos avaliarem e em tendo interesse, contatarem o empreendedor para negociarem diretamente o investimento. 

Parcerias para Disseminação de Conhecimento: promovemos diversas atividades nossas e e apoiamos as de nossos parceiros para disseminar o conhecimento sobre investimento anjo e empreendedorismo com objetivo de ampliar a cultura de inovação nos negócios. Faça sua inscrição para acompanhar nossa agenda.

Apoio a Criação de Políticas Públicas: propomos e apoiamos propostas dos nosso parceiros para a melhoria da legislação e regulamentação para o investimento anjo e o empreendedorismo brasileiro, bem como ações das entidades públicas para estimulo dos mesmos. 

Assim, se você tiver um projeto que se enquadre em investimento anjo (vide Como Obter Investimento Anjo), submeta para nós que encaminharemos com todo prazer para nosso membros investidores avaliarem o mesmo.



IMPORTANTE: A Anjos do Brasil não faz investimentos diretos, nem gestão de recursos de terceiros ou indicação/intermediação de qualquer investimento bem como não cobra qualquer valor sobre o mesmo ou endossa qualquer empreendedor/investidor, assim, não podemos dar qualquer garantia ou assumir qualquer responsabilidade; apenas apoiamos investidores-anjo e empreendedores a se conectarem, avaliarem-se e negociarem diretamente. Para maiores detalhes vide FAQ e Termos.

Gostou? Quer saber mais? Confira!



Sait: www.anjosdobrasil.net


Por Lumara Diniz

Fonte: Anjos do Brasil, www.anjosdobrasil.net

Imagem: Google imagem.

Confira Também: Página Empreendedorismo




Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More